Loading...

domingo, 1 de maio de 2011

Histórias Tradicionais







A Sopa de Pedra




A Sopa de Pedra ou Caldo de Pedra é uma sopa típica da culinária portuguesa, em particular da cidade de Almeirim, situada no coração da região do Ribatejo.

Estátua alusiva em Almeirim


Ao contrário do que o nome indica, a Sopa de Pedra é uma sopa com muitos ingredientes, em que a „pedra“ é apenas um „pretexto“. (in wikipédia adaptado)


 A Lenda

A SOPA DA PEDRA

   Um frade andava no peditório. 



  Chegou à  porta de um lavrador, não lhe quiseram aí dar esmola. 
  O frade estava a cair com fome, e disse :
- Vou ver se faço um caldinho de pedra …
  E pegou numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela, para ver se era boa para fazer um caldo. A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança. Perguntou o frade :
- Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa boa.
  Responderam-lhe :
- Sempre queremos ver isso!

  Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, pediu :
- Se me emprestassem aí um pucarinho…
 Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro.
-Agora, se me deixassem estar a panelinha aí
ao pé das brasas

Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, tornou ele:
- Com um bocadinho de unto, é que o caldo ficava um primor!
  Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada pelo que via. Dizia o frade, provando o caldo :
- Está um bocadinho insosso. Bem precisava de uma pedrinha de sal.

  Também lhe deram o sal. Temperou, provou e afirmou :
- Agora é que, com uns olhinhos de couve o caldo ficava que até os anjos o comeriam! 
  A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras. 
 O frade limpou-as e ripou-as com os dedos, deitando as folhas na panela.
Quando os olhos já estavam aferventados, disse o frade :
- Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele botou-o à panela e, enquanto se cozia, tirou do alforje pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era uma regalo. Comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou:

- Ó senhor frade, então a pedra?
  Respondeu o frade :
- A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez.
E assim comeu onde não lhe queriam dar nada.
In: http://sotaodaines.chrome.pt/sotao/histor40.html ( adaptado)

                                     A Receita 
Sopa de Pedra

1L de feijão encarnado
1kg de orelha e cabeça de porco
200gr de entrecosto
250 de carne de vaca para guisar
100 gr de toucinho entremeado
1 chouriço de carne
1 morcela
1 couve lombarda
400gr de batata
2 cenouras
2 cebolas
2 dentes de alho
sal q.b.
hortelã q.b.
coentros q.b.

Preparação

Prepare de véspera a orelha e cabeça de porco, raspando e limpando e salgue juntamente com o entrecosto.
Coloque o feijão de molho
No dia seguinte lave a as carnes e os enchidos e ponha-os a cozer em água e sal.
Separadamente ponha o feijão a cozer.
À medida que as carnes forem cozendo vá retirando as que cozem primeiro- as carnes de porco e os enchidos- para não se derreterem.
Logo que retirar todas as carnes, deite na água da cozedura, a couve, a cenoura e a cebola, cortadas em pedaços e os alhos picados. Algum tempo depois acrescente as batatas, igualmente cortadas em pedaços.
Escorra o feijão e retire duas conchas, que passa no passe-vite.
Quando os legumes estiverem cozidos, junte-lhe o feijão inteiro e o passado.
Deixe ferver um pouco para apurar e retifique os temperos.
Corte as carnes de porco e de vaca em bocados, os enchidos às rodelas e o toucinho em fatias.
Deite as carnes na panela e logo que levante fervura, os enchidos e o toucinho. Sirva imediatamente.

A tradição manda que, no fundo da terrina da sopa, se coloque uma pedra bem lavada. A pessoa a quem calhar a pedra é que deve oferecer a próxima refeição.
(  Recolha em fontes várias, internet)



Sem comentários:

Enviar um comentário